Quem sou eu

Minha foto
HOJE ALGUMAS FRASES ME DEFINEM: "Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento." Clarice Lispector "Os contos de fadas são assim. Uma manhã, a gente acorda. E diz: "Era só um conto de fadas"... Mas no fundo, não estamos sorrindo. Sabemos muito bem que os contos de fadas são a única verdade da vida." Antoine de Saint-Exupéry. Contando Histórias e restaurando Almas."Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." Fernando Pessoa

Colaboradores

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Clarice Lispector

Imagem retirada do Gloogle
“Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? Eu adoro voar!
Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre”

“Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.”

“Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.”

“É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que
tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo.”
“Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo - quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação.”
“O que eu sinto eu não ajo.
O que ajo não penso.
O que penso não sinto.
Do que sei sou ignorante.
Do que sinto não ignoro.
Não me entendo e ajo como se entendesse.”


“Sou como você me vê,
posso ser leve como uma brisa,
ou forte como uma ventania,
depende de quando,
e como você me vê passar.”




Pêras ao Vinho Tinto

Ingredientes:

- 4 pêras firmes
- Suco de 1 limão
- 2 xícaras (chá) de açúcar
- 2 xícaras (chá) de vinho tinto - de preferência, seco
- 1/2 xícara (chá) de vinho do Porto
- 1/2 xícara (chá) de xarope de groselha
- Raminhos de hortelã para decoração

Modo de Preparo:

Descasque as pêras inteiras e coloque de molho em água com limão
para que não escureçam. Reserve. Numa panela, misture o açúcar, o
vinho tinto, o vinho do Porto e a groselha, deixando ferver por 5
minutos.

Acrescente as pêras e cozinhe por 30 minutos, até ficarem macias.
Retire as pêras delicadamente com uma escumadeira e reserve. Leve
a calda de volta ao fogo e cozinhe por mais 15 minutos ou até
engrossar um pouco.

Coloque as pêras em pratos individuais, regue com a calda e
enfeite com raminhos de hortelã. Podem ser servidas quentes ou
frias. Se quiser, sirva fria com chantilly ou sorvete de creme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...