Quem sou eu

Minha foto
HOJE ALGUMAS FRASES ME DEFINEM: "Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento." Clarice Lispector "Os contos de fadas são assim. Uma manhã, a gente acorda. E diz: "Era só um conto de fadas"... Mas no fundo, não estamos sorrindo. Sabemos muito bem que os contos de fadas são a única verdade da vida." Antoine de Saint-Exupéry. Contando Histórias e restaurando Almas."Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." Fernando Pessoa

Colaboradores

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

O Sapo Cantor

Todos os dias o sapo ouvia um galo cantar no alto de uma árvore. O sapo ficou apaixonado pela voz do galo e resolveu que podia cantar como a ave. Contou para os seus amigos. - Você tem certeza que pode? – perguntou a rã. - Se o galo canta, por que eu não posso cantar? Eu tenho uma bela voz. – disse o sapo. - Tudo bem, você acha. Se quer tentar que tente. – disse a rã com pena do amigo. Criou um festival de musica só para ele. Imaginou esse dia como o mais importante da sua vidinha de sapo. A bicharada da lagoa recebeu o convite impresso numa folha de planta aquática. “Ao raiar o sol, venha ver e ouvir o sapo cantor no festival de música batraquiana” Finalmente chegou a hora. A lagoa estava repleta de bichos para ver o sapo cantar como o galo. O sapo nadou até o palco, montado numa pedra bem no centro da lagoa, ajeitou o microfone feito de junco, tossiu para limpar a garganta e começou: - Coach, coach, coach, coach... A platéia estava muda. Aquilo era cantar como um galo? Silenciosamente os assistentes começaram a se retirar. O sapo, de olhos fechados e peito estufado, continuava cantando imaginando que estava agradando. Ao terminar o canto, abriu os olhos e viu que estava só. Milhões de pontos de interrogação dançavam na sua cabeça. Ele não podia entender... Por que seria que os amigos não esperaram ele terminar o canto para aplaudi-lo? Bem! Deixa pra lá! No dia seguinte, quando tomava sol com outros sapos e rãs, ele perguntou: - Então, o meu canto agradou? Não cantei tão bem como o galo?
- Amigo, – disse o sapo mais velho da turma
– quem nasceu pra sapo nunca chega a frango d’água e muito menos a galo cantor.
Seja você mesmo para não perder seus amigos.

* * *
História enviada por Erica Rodrigues.

* * *

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...